sexta-feira, 17 de julho de 2009

Chickenfoot, o supergrupo dos anos 2000

O supergrupo clicado por ninguém menos que Ross Halfin

Joe Satriani, todo mundo conhece. Um dos maiores e mais criativos guitarristas do mundo, co-fundador do G3, vendeu milhões de álbuns mundo afora e músico mais que consagrado.

Mas Joe nunca quis ser o dono dos holofotes. Sonhava em apenas ser o guitarrista de uma puta banda. E depois de mais de vinte anos de carreira, parece ter conseguido.

Eis que meio de brincadeira, numa jam com Sammy Hagar, Michael Anthony (ex Van Halen) e Chad Smith (Red Hot, Glenn Hughes), o sonho de Satriani se realiza na forma de um pé de galinha! Chickenfoot é um nome bem estranho, não?

E como garantem os integrantes, Chickenfoot é uma banda sim, e não apenas mais um projeto paralelo.


O primeiro play foi lançado em junho e já causou alvoroço em todas as publicações especializadas. Afinal de contas, não é todo dia que aparece um supergrupo, né!

Posto isso, vamos ao play.


O que esperar de caras com tal currículo? Um Rock adulto, conectado com os tempos atuais, alheio às modinhas. Hard Rock, Funk, virtuosismo, feeling, tudo junto!

Particularmente. destaco Future in the Past, baladinha (lembrando um pouco Thank You, do Led Zep), que passa pelo funk e acaba em um baladão Hard Rock. Viagem total. Em seguida, Turnin’ Left. Inevitável não lembrar dos últimos trampos de Glenn Hughes. Afinal de contas, Chad Smith teve presença fundamental naqueles álbuns. Posso até chamar de Hard Funk. My Kinda Girl é aquele hardão clássico que te faz levantar e sair dançando. Minha favorita. Get it Up é minha segunda favorita. O refrão “Get it up! Arriba arriba!” gruda fácil. Oh Yeah é o primeiro vídeo e também de refrão grudento. Sexy Little Thing é um hardão da melhor qualidade. E é invevitável não lembrar do Van Halen no hard-blues Soap on a Rope.


Dá pra perceber claramente que o lance de Satriani é mesmo ser “apenas” o guitarrista de uma banda. Ele consegue combinar perfeitamente feeling, criatividade e virtuose, sem parecer “punheteiro”, como alguns por aí. Chad e Mark formam uma cozinha muito competente, responsável pela pegada Hard e Funk. Sem eles, certamente a levada não seria a mesma. Aliás, na minha humilde opinião, Chad Smith é um dos bateristas mais cheios de personalidade que conheço. E Sammy Hagar está em excelente forma, com um vocal nervoso, sem aqueles gritos que costumava mandar no Van Halen.


Em tempos onde nos sentimos afogados por insuportáveis bandinhas emo e indie, os professores vêm dar uma pequena lição de Rock. Vale a pena dar uma escutada.

Eis o primeiro vídeo, “Oh Yeah”


Mais info: http://www.myspace.com/thechickenfoot

3 comentários:

Leonardo Machado disse...

Óia! O Brógue da Thati! Então, ainda nem ouvi, mas depois de tantas recomendações, vou dar uma sacada! ;)
;**

marcelo disse...

Show de bola hein Dona Thati!!! Muito legal seu Blog! Quanto mais espaços pra que a gente possa "soltar a fumaça pelas narinas" melhor!!rsrs

Quanto ao "Pé de Galinha"... Hummmm... Pois é... Sei lá... Então... É como vc mesmo disse, em meio ao mar de emos que nos afogam somados os neos, news e pós-pós da vida, tá valendo!

BEIJO FORTE!!! Parabéns pelo Blog!!!

Leonardo Machado disse...

então, é legal mas não achei essa brastemp toda não. Mas conversamos pessoalmente isso.
beijo